quinta-feira, 15 de agosto de 2013

PROP@GACULT * Pais e Filhos



Graça e Paz Prop@gadoreS!

O Dia dos pais foi domingo e tenho certeza que vocês curtiram seus pais ao máximo. E é exatamente sobre isso que vamos falar hoje!

Quem tem o privilégio de ser pai sabe o quanto é difícil educar um filho e mante-lo nos caminhos do Senhor, talvez ser pai nos dias atuais seja uma missão ainda pior.

Quando falamos da paternidade no livro sagrado, temos referência do cabeça da família ou da autoridade da casa, quer seja no novo ou no velho testamento existem diversos usos para o termo pai, sejam eles literais ou até mesmo figurados.

A visão da escritura sobre a figura do pai independe dos perídos bíblicos e nos mostra que a autoridade e influência que está posta sobre ele é irrefutável, transmitindo ao filho a submissão.

A educação de um filho, aos nossos olhos pode parecer obvio de mais, mas naquele tempo ser educado somente pelo pai era uma regra cultural e mandamento divino. Um perfeito exemplo disso está no texto (DT 6:7-10 / PV 22:6). 

Seu pai está diretamente ligado a ser um mentor espiritual pra você? pois é! à luz das escrituras temos o exemplo de Jó que fazia sacrifícios toda manhã pelos seus filhos cumprindo o papel sacerdotal que é incumbido somente ao pai. O zelo espiritual concebido pelo pai na época era de suma importância levando em consideração o exemplo importantíssimo que esse papel impunha na formação dos filhos, ou seja os padrões de vida espirituais do pai seriam atos pedagógicos de maneira inconsciente (JÓ 1:5).

Quem nunca olhou para o seu pai e disse: Um dia quero ser como ele! ou fazer oque ele faz! A influência profissional que você tem do seu pai hoje não é tão contemporânea quanto você imagina, nos tempos bíblicos, um dos principais deveres de um pai era simples e unicamente formar o filho na profissão que exercia. Um exemplo claro e muito vivo disso é nosso Jesus que submisso herdou de josé a profissão de carpinteiro.

O valor de um pai não se pode medir com qualquer régua, precisamos entender o importante papel que essa figura representa na nossa formação. Independente de quem seja o seu pai a palavra de Deus nos orienta a honra-los e respeita-los se quisermos viver mais!. Antes de vê-lo como um pai, precisamos enxergar uma alma falha e sujeita a erros que independente de seus atos e influências também teve a vida salva pelo sacrifício de Jesus. Amar quem te deu a vida e te ensina a enfrenta-la, também se encaixa no incrível mandamento do amar o próximo como a ti mesmo, por isso se forje com a régua da sabedoria, bom senso e amor e saiba medir quem não mede esforços pra te ver feliz.

Diga nos comentários uma experiência marcante que teve com o seu pai!

Abraços e até a próxima semana!