quinta-feira, 22 de agosto de 2013

PROP@GACULT * Um som chamado Adoração



“Eu te louvarei, Senhor, com todo o meu coração; contarei todas as tuas maravilhas”
(Salmos 9.1)

Quem é que nunca se pegou cantarolando por ai uma musica qualquer que, escuta-la uma única vez, foi suficiente para ficar gravada em sua mente a ponto de, ser impulsionada a canta-la sem se dar conta?

Pois é, tenho certeza que isso já aconteceu com você e com tantas outras pessoas que, nessa corrida mundial pela sobrevivência, acabam passando por tantos momentos sem se quer percebe-los.

A música por sua vez, está presente em muitos desses momentos. A criança nem aprendeu falar ainda, mas já consegue identificar o som de algo que lhe agrada, assim como o bebê que consegue sentir a paz e calmaria de uma canção na hora do sono.

Entretanto, quando relacionamos a música e a igreja, os preceitos que envolvem essa forma de arte saltam para além da zona de argúcia e atingem um âmbito árduo e complexo.

A música na igreja não deve ter como propósito animar o culto, não se trata de transformar o período de louvor num momento de fruição. Isto porque nas Escrituras Sagradas encontramos dois objetivos principais da música na igreja, os quais são: declarar a glória de Deus, ou seja, adorá-lo e demonstrar nossa gratidão por ele, declarando seus feitos a nós.

Ao louvarmos ao Senhor com uma genuína e extravagante adoração podemos dizer que  alcançamos o verdadeiro objetivo da música na igreja

A arte operando no sentido cristocêntrico, deve atingir a finalidade de estar voltada pra Deus como expressão de louvor e adoração. Tudo o que é feito, inclusive na parte musical dentro do âmbito cristão deve levar-nos ao Senhor proclamando sua magnitude e nos fazendo ser mais íntimos a Ele.

A adoração deve ser um modo de vida e a música nada mais é do que o condutor para que ao ministrarmos, seja no altar ou não, sejamos ministrados também. Enquanto dos nossos lábios saltam combinações melodiosas, dos nossos corações devem saltar acima de tudo a santidade em devoção a Deus.

Contudo, a música na igreja segundo a bíblia precisa ter por finalidade alguns propósitos os quais estão respaldados pela palavra. Entre eles:

·                Trazer a unidade do corpo de Cristo (Is 52.8,9)
·        Conduzir o povo á presença de Deus (Sl 95.1,2)
·        Restaurar a alma (I Sm.16,17,23)

Portanto é necessário protelar o estudo das técnicas, uma vez que nossos corações ainda não estejam afinados ao coração de Deus. É necessário que, antes de conhecer as sinfonias, nosso espírito esteja forjado ao caráter do Rei, antes de dedilhar nossos instrumentos e afinar a nossa voz devemos ter certeza de que por muitas vezes o Pai já nos ouviu em secreto.

O segredo da excelência do louvor e adoração dentro do âmbito cristão é para aqueles que entendem a música não como o objeto central, mas que a coloca em favor do seu propósito real, o da adoração.

O que te motiva a cantar em adoração a Deus? Quais os feitos da potente mão de Deus te dão ímpeto para ser um adorador extravagante?

Deixe sua resposta nos comentários, a equipe do Prop@gando quer conhecer você!